joelho

Entenda e cuide do seu joelho

O joelho é uma articulação que faz parte do corpo humano e de outros mamíferos. Ele é formado pela extremidade distal do fêmur, pela extremidade proximal da tíbia e pela patela, também conhecida como rótula.

O joelho possui também ligamentos que estabilizam a articulação, auxiliados pelos meniscos (interno ou medial e externo ou lateral), que estabilizam o joelho e amortecem os impactos sobre as cartilagens.

A chave para uma articulação de joelho saudável é a sua estabilidade. A configuração óssea, os meniscos, os ligamentos, a cápsula e os músculos que cercam a articulação do joelho produzem a sua estabilidade.

Os ligamentos são os estabilizadores primários para a translação e rotação da articulação do joelho. O ligamento cruzado anterior (LCA) é o mais exigido no dia-a-dia de uma pessoa saudável, que pratica esporte por lazer ou profissão porque aceita 75% da força em extensão completa e um adicional de 10% (até 90º) de flexão do joelho.

O joelho é uma articulação sinovial complexa. Na verdade ele possui duas articulações separadas:

■ A articulação fêmoro-patelar consiste na patela, um osso sesamóide que reside no interior do tendão do músculo anterior da coxa (músculo quadríceps femoral), e na superfície patelar na frente do fêmur, na qual ele desliza.

■ A articulação fêmoro-tibial liga o fêmur (osso da coxa) à tíbia, o principal osso da perna. A articulação é banhada por um fluido sinovial viscoso, que está contido dentro da membrana sinovial, ou cápsula articular.O escavamento atrás do joelho é conhecido como fossa poplítea.

Menisco

Os meniscos são elementos cartilaginosos presentes na articulação do joelho que servem para proteger as extremidades dos ossos de se esfregarem entre si e para efetivamente aprofundar os soquetes tibiais dentro dos quais o fêmur se prende. Eles também possuem papel na absorção de choque mecânico. Existem dois meniscos em cada joelho, o menisco medial e o menisco lateral. Um deles ou ambos podem ser lesionados, quando o joelho é rotado ou dobrado com força acima do normal, e ou sofre grande impacto.

Veja abaixo uma Sutura de Menisco

Movimentos

O joelho permite os seguintes movimentos: flexão, extensão, assim como uma leve rotação lateral e medial. O joelho também possui mecanismos especiais de travamento e destravamento, relacionados ao movimento dos côndilos femorais no platô tibial.

A flexão é permitida até 120º quando o quadril está estendido, 140º quando o quadril está flexionado e 160º quando o joelho é flexionado passivamente. A rotação medial é limitada a 10º e a lateral a 30º. A rotação medial e lateral só ocorre com o joelho flexionado.

Lesão

Em esportes que exigem muito impacto aos joelhos, especialmente forças de torção, é comum o rompimento de um ou mais ligamentos ou cartilagens do joelho.
O ligamento cruzado anterior é frequentemente rompido como um resultado de uma rápida mudança na direção durante uma corrida ou de algum outro tipo de movimento de torção violento. Ele também pode ser rompido com a extensão forçada além de sua amplitude normal ou como resultado de forças aplicadas lateralmente.

As lesões ligamentares podem ocorrer como resultado da força que faz com que a articulação exceda sua amplitude de movimento normal. Uma pancada no aspecto lateral da articulação do joelho ou da tíbia pode causar um estresse no valgo que resulta no rompimento dos ligamentos impedindo movimento. Da mesma forma, a hiperextensão forçada do joelho pode causar rompimento dos ligamentos posteriores. Assim como forças excessivas possam causar rupturas ligamentares, forças de baixa magnitude podem também causar rompimentos em ligamentos enfraquecidos pela idade, doença, imobilização, esteroides ou insuficiência vascular. Por causa desses problemas é recomendado um fortalecimento dos músculos desta complexa articulação, com a devida orientação postural. Assim as pessoas serão cautelosas e se sentirão mais seguras na prática de esportes como futebol, basquete e atletismo.

Antes do advento da artroscopia, os pacientes que faziam cirurgia para um LCA necessitavam de pelo menos nove meses de reabilitação. Com as técnicas atuais de reconstrução do LCA, estes pacientes podem hoje caminhar sem dificuldades em duas semanas e praticar esportes em poucos meses.