Sem título

Entenda a Pubalgia

A pubalgia se caracteriza pela presença de dor, na região baixa do abdômen e na virilha. Descrita pela primeira vez em um atleta de Esgrima, se popularizou em 1983, quando Willey descreveu o primeiro caso em atleta de futebol. Desde então vem ganhando muito apelo no mundo esportivo, e é cada vez mais frequente em atletas recreacionais e profissionais, sendo uma doença causada basicamente por sobrecarga de exercícios.

A região do púbis é considerada o centro de gravidade do corpo, e a junção dos ossos ilíacos na região anterior da pelve se chama sínfise púbica. Nesta região, ocorre a inserção e consequente tração de diversas forças musculares como os Retos Abdominais superiormente, os Oblíquos do Abdomen numa diagonal superior, os Adutores em sentido diagonal inferior e o Reto Femoral, Íleo-Psoas e Sartório inferiormente.

É considerada uma doença progressiva, crônica, causando inflamação óssea, cartilagem, ligamentos, tendões ao redor da Sínfise Púbica.

De causa multifatorial, não é possível atribuir uma causa única. Geralmente está associado a sobrecarga de exercícios, desequilíbrios musculares, encurtamento muscular, redução de mobilidade das articulações coxo-femoral e sacro-ilíaca, micro-lesão no adutor, enfraquecimento da parede abdominal entre outros.

Muito comum em jogadores de futebol, pelos chutes repetidos e também em esportes com troca de direção constante e contato físico; em 80% dos casos os pacientes referem dor na região adutora e em 40% ao redor da sínfise púbica. Podem também referir dor na região baixa do abdômen (30%), no quadril em 12% e na bolsa escrotal em 8%.

O padrão e característica da dor também são informações importantes. Dor em queimação, irradiada para a região medial das coxas, que piora após a atividade e por vezes contínua. Piora e interfere na performance sexual.

Além da dor, que geralmente tem caráter progressivo, a incapacidade para a prática esportiva é uma característica marcante da doença.

Existe uma categoria de Pubalgia, chamada infecciosa, que ocorre de forma secundária a uma Doença Sexualmente Transmissível (D.S.T.).

Outras causas, como Ginecológicas, Urológicas, Infecciosas e Hérnias intra-abdominais devem ser afastadas, visto que a lista de diagnósticos diferenciais é extensa:

Ortopédicas

Estiramento do músculo adutor, Estiramento do músculo ileo-psoas, fratura-avulsão, fratura por estresse, patologia intra-articular do quadril (Impacto fêmoro-acetabular, lesão labral, corpo livre, artrose precoce), deformidades congênitas do quadril, radiculopatia lombar, compressão nervosa.

Cirurgia Geral

Apendicite, doença diverticular, bridas e aderências intra-abdominais.

Urológicas

Infecção do Trato Urinário, prostatite, dor tentacular, varicocele.

Ginecológicas

Compressão peri-ligamentar, endometriose, cisto ovariano.

As radiografias convencionais demostram rarefação e esclerose óssea, na sínfise púbica, o que representa um estágio avançado na doença.

A Ultrassonografia define a presença de hérnias intra-abdominais ou inguinais, diagnóstico que deve ser excluído. A Ultrassonografia dinâmica é capaz de detectar defeitos na parede posterior do abdômen, que é uma das principais causas da doença.

A Cintilografia Óssea é notado o aumento de captação do radiofármaco na região do púbis, geralmente maior que a Espinha Ilíaca Ântero-Superior, quanto mais escurecido estiver nesta fase, maior a sobrecarga e o remodelamento ósseo no local. A presença nas fases iniciais do exame estão relacionas a maior inflamação no local.

A Ressonância Magnética Nuclear identifica em muitos casos, a presença de edema na medular óssea do púbis, assim como possíveis tendinopatias dos adutores e da musculatura abdominal.

Vários tipos de tratamentos estão descritos para a pubalgia.

Inicialmente, nos quadros agudos, a tentativa de repouso, medicação analgésica e anti-inflamatória e afastamento das atividades físicas associado a crioterapia (gelo), podem gerar melhora inicial parcial, porém os sintomas retornam com a volta a atividade esportiva.

A fisioterapia convencional, osteopatia, alongamentos, fortalecimentos musculares específicos é estimulado nas primeiras 6 semanas para um atleta profissional e 3 meses para um atleta recreacional. Após este período, caso o paciente não tenha apresentado uma melhora de 80% do estado incial, é sugerido o tratamento cirúrgico.

Existem muitas críticas na literatura ao tratamento conservador, que em grande parte dos casos, não garante a cura do problema, é dispendioso e muito demorado, podendo perdurar por até 12 meses, além de estar associado a uma alta taxa de recidiva da patologia.

O uso de antibióticos deve ser orientado quando diante de um quadro infeccioso.

Outra opção seria a Radioterapia em doses anti-inflamatórias no púbis, guiada por Tomografia Computadorizada teve algum sucesso no passado, porém está relacionado a um grande número de complicações.

O tratamento, em grande parte dos casos é cirúrgico, e consiste em identificar o local do desequilíbrio e da deformidade e correção desta.

Uma vez diagnosticada a real causa do problema e submetido ao tratamento cirúrgico, a reabilitação segue algumas fases que, de forma progressiva devem ser respeitadas.

Não é necessário a utilização de muletas e uma fase de repouso relativo de 3 semanas é respeitado. Após esse período, o paciente é estimulado a retornar as atividades físicas como bicicleta, musculação, transport, seguido de corridas, trocas de direção e retorno ao esporte de preferência.

O tempo total de reabilitação gira em torno de 8 a 12 semanas, dependendo do local onde foi corrigida a deformidade.

O paciente retorna para uma re-avaliação com 6 meses. Quando, cerca de 95% dos pacientes se dizem satisfeitos e em um nível superioras pré-operatório quando diz respeito a prática esportiva.

 

 

 

Post Transplante de Menisco TRANSPLANTE DE MENISCO

Quando falamos em Reconstrução articular, a palavra que vêm imediatamente a cabeça é prótese. A colocação de uma prótese, salvo [...]

Foto Post Calçados Esportivos A Importância do Calçado Esportivo

Nas últimas décadas, o desenvolvimento dos calçados esportivos vêm sendo uma das mais significantes contribuições da tecnologia e indústria para [...]

Dor na Perna do Esportista

Atualmente em meu consultório, uma das queixas mais comuns entre os esportistas, especialmente os corredores, sejam eles amadores ou profissionais [...]

Sem título Osteotomia Corretiva de Realinhamento dos Membros Inferiores

Vamos tentar explicar como abordar e tratar as deformidades angulares dos membros inferiores dos adultos, especialmente as pernas arquedas. Será [...]

exercícios-de-pilates Lesões comuns no Pilates

Imagine um exercício em que você utiliza a força, equilíbrio e controle do seu próprio peso, que respeita os seus [...]

A pregnant lady exercising Lesões em Mulheres, é possível prevenir?

A presença das mulheres em atividades esportivas é um fato cada vez mais frequente. Atualmente elas não se resumem a [...]

Sem título INCIDÊNCIA DE FRATURAS POR ESTRESSE EM JOGADORES DE FUTEBOL DAS CATEGORIAS DE BASE

Objetivo: Comprovar a incidência de fratura por estresse em jogadores das categorias de base de um grande clube de futebol [...]

tenis Conheça as lesões mais frequentes no tênis

O tênis é um esporte que requer concentração, coordenação, agilidade e habilidade específica, além de uma relação direta entre a [...]

98838cabd962f2ce5d616cf98ac90b65 (1) Dr. Rodrigo Góes e Instituto Reação comemoram parceria de sucesso

Desde 2012, o Dr. Rodrigo Góes é parceiro do Instituto Reação, fundado pelo medalhista olímpico Flávio Canto. Integrando o programa Reação Saúde, o [...]

rodrigo Lesões em esportes náuticos – do surfe à vela

O número de esportes praticados no mar, em lagos ou rios cresce a cada dia com esportistas aventureiros em busca [...]

oficial PB A participação do Brasil no Festival Olímpico da Juventude da Austrália

O Festival Olímpico da Juventude da Austrália é um dos maiores eventos esportivos para jovens do mundo e contou com [...]

doping-area Lista de substâncias proibidas de 2012 pelo Código Mundial Antidoping

Resolução N° 33, de 28 de dezembro de 2011 aprova a lista de substâncias e métodos proibidos na prática desportiva [...]

Dr. Rodrigo e os anéis olímpicos Olimpismo e Movimento olímpico

Movimento Olímpico O esporte como instrumento de transformação social Um movimento com base social em prol do desenvolvimento do Homem [...]

Rodrigo e Belfort e thales MMA e as suas principais lesões

O esporte que mais cresce atualmente no mundo, e que cada vez tem mais adeptos e praticantes, as Artes Marciais [...]

O “experiente” Filipe Marcelino, de 5 anos, corre desde os 3 anos. “Sempre trago os meus primos para participar comigo”, conta. Foto: Guto Maia Crianças correm como “gente grande” em pistas de atletismo

Revista O FLU, 09/12/2012. Por: Juliana Dias Ferreira 09/12/2012. Atletas mirins dão show em corridas infantis, que estão virando tradição [...]

FlatFoot[1] Avaliação do uso do Enxerto Homólogo na Osteotomia de Alongamento do Calcâneo para Tratamento do Pé plano valgo neurológico

Rodrigo A. Góes dos Santos Celso Belfort Rizzi Junior Stélio Galvão Márcio Garcia Cunha Maurício Almeida Jesus Rangel Ricardo Carneiro [...]

lca Avaliação dos mecanismos de lesão do ligamento cruzado anterior no futebol

Luiz Antonio Martins Vieira1, Diogo Assis Cals de Oliveira2, Carlos Humberto Victoria3, Inácio Facó Ventura Vieira4, Rodrigo Araújo Góes dos [...]

tendao Análise Epidemiológica das Rupturas do Tendão Patelar

Rodrigo Araujo Góes dos Santos¹, Luiz Antonio Martins Vieira², Carlos Humberto V. Victoria³, Diogo Assis Cals de Oliveira³ RESUMO Objetivo: [...]

joelho Análise epidemiológica das rupturas do ligamento cruzado anterior em pacientes atendidos no Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia.

Luiz Antonio Martins Vieira1, Diogo Assis Cals de Oliveira2, Carlos Humberto Victoria3, Marcelo Motta Pereira4, Rodrigo Araújo Góes dos Santos5. [...]

site Avaliação da importância do Diabetes mellitus na incidência da Doença de Dupuytren

Renato Henriques Tavares1, Rodrigo Araújo Góes dos Santos2 Anderson Vieira Monteiro3,Saulo Fontes de Almeida4. RESUMO A contratura de Dupuytren é [...]

femur Avaliação da progressão do deslizamento após fixação “in situ” para tratamento do escorregamento epifisário proximal do fêmur.

Avaliação da progressão do deslizamento após fixação “in situ” para tratamento do escorregamento epifisário proximal do fêmur*  RODRIGO ARAUJO GÓES [...]

lesões esqui Lesões no Esqui Alpino

Moramos em um país tropical, onde prevalecem os esportes praticados na areia da praia ou no mar, como o vôlei [...]

SITE Vila Olimpica London 2012 padrao As lesões mais comuns em Jogos Olímpicos

  Os Jogos Olímpicos de verão é o maior evento esportivo do mundo e ocorre a cada 4 anos, envolvendo [...]

Dr. Rodrigo com a tocha olímpica peq Londres 2012 – Uma Experiência Única

Como todos vocês sabem, destinei toda minha vida ao esporte, inicialmente como atleta, depois como torcedor curioso e estudioso e [...]

bruno e rodrigo Amigos e sócios do Rio Cricket nas Olimpíadas de Londres

Nos gramados do Rio Cricket Associação Atlética eles cresceram juntos e alimentaram o mesmo sonho de um dia serem profissionais [...]

Rodrigo FLU Rumo às Olimpíadas

O niteroiense Rodrigo Góes viajou para Londres no início de julho para integrar a equipe de médicos da Comissão Olímpica [...]

sutura de menisco Sutura de Menisco

No passado, os pacientes que apresentavam quadro de dor no joelho, colocava-se a culpa nos meniscos. Chamavam de “doença do [...]

IMG_1263 Uma visita ao Instituto Reação

A seleção olímpica de judô fez os últimos treinos no Brasil antes dos Jogos de Londres, no dojô Pedro Gama [...]

ufrj Dr. Rodrigo Góes coordenou o módulo de Lesões no Futebol na Pós-Graduação em Futebol na UFRJ

No último dia 15 de abril aconteceu na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) o módulo de Lesões no [...]

rodrigo equador Dr. Rodrigo Góes a serviço da pátria

O mês de dezembro de 2011 foi muito especial para o Dr. Rodrigo Góes, convocado pela primeira vez para integrar [...]

rodrigo aaos Dr. Rodrigo Góes se torna membro da Academia Americana de Cirurgiões Ortopédicos

O encontro anual da American Academy of Orthopaedics Surgery (AAOS), o maior congresso de ortopedia do mundo, aconteceu em favereiro, [...]

artrose e prótese Artrose e prótese de joelho: entenda o problema

Para a Organização Mundial de Saúde (OMS), vivemos a década da gonartrose. Para muitos, ter essa doença é apenas uma [...]

deformidades-angulares Deformidades angulares no joelho pediátrico

Uma queixa muito frequente no consultório de um cirurgião de joelho ou ortopedista pediátrico diz respeito à aflição dos pais [...]

equipe-handball-brasil Dr. Rodrigo Góes foi responsável pela equipe médica dos Jogos Sul-Americanos de Rugby

A convite da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu), Dr. Rodrigo Góes foi o coordenador da equipe médica dos Jogos Sul-Americanos [...]

dr-rodrigo-transplante-menisco Entenda o transplante de menisco

Convidado pelo Dr. Robert McCormack, médico chefe do Comitê Olímpico Canadense e do Grupo de “Sports Injuries” da British Columbia [...]